sábado, 21 de janeiro de 2012

A Vida Futura em Nossas Vidas

vidafutura

Este artigo foi baseado no estudo do texto A VIDA FUTURA de Allan Kardec, nas Obras Póstumas.

Kardec começa afirmando que a vida futura já não é mais um problema, isto porque tendo como premissa a sobrevivência da alma ou como diz Kardec na introdução do O Livro dos Espíritos “haver em si mesmo alguma coisa além da matéria”, todo aquele que tem uma crença religiosa, seja qual for, a tem baseada nesta premissa, como nos explicou Kardec no texto Consequências da Doutrina da Reencarnação sobre a Propagação do Espiritismo, na Revista Espírita de abril de 1862:

“Toda religião repousa necessariamente na vida futura e todos os dogmas convergem forçosamente para esse fim único. É visando atingir esse fim que eles são praticados; e a fé nos dogmas está na razão direta da eficácia que se lhes atribui para o alcançar. A teoria da vida futura é, pois, a pedra angular de toda doutrina religiosa. Se essa teoria pecar pela base; se abrir o campo a objeções sérias; se se contradisser; se se puder demonstrar a impossibilidade de certas partes, tudo vai abaixo. Antes de mais vem a dúvida, à qual sucede a negação absoluta, e os dogmas são arrastados no naufrágio da fé”.

Qual a influência que o conhecimento e a compreensão da vida futura tem sobre as nossas vidas? Para aqueles que não acreditam nela, que entendem que após a morte não existe nada, os materialistas, a vida futura não exerce influência alguma. De certa forma consagram o egoísmo e a vida pertence aos mais fortes e espertos. Porque deveriam suportar privações, corrigir seus defeitos, sentirem remorso ou se arrependerem, se toda e qualquer vida acaba com a morte do corpo. Como evitar o suicídio, por exemplo, se dentro desta lógica perversa não há motivos para a resignação? O Sr. Sanson, já desencarnado, disse a Kardec em resposta a uma pergunta na Revista Espírita de junho de 1862: ““-Sem dúvida; até a última hora alguns crêem no nada. Mas no momento da separação o Espírito passa por profundas reflexões; a dúvida o subjuga e o tortura, porque a si mesmo pergunta em que se tornará; quer agarrar-se a alguma coisa, mas não consegue. A separação não se pode dar sem essa impressão”.

Muitos dizem que estas pessoas, apesar de não acreditar em uma vida futura, fazem o bem e nisto tem mais mérito por não esperarem uma recompensa futura, mas será que eles não esperam uma recompensa nesta vida? Como diz Kardec “Serão eles insensíveis aos aplausos dos homens”?

Porém a simples crença na vida futura não é garantia de que uma pessoa terá interesse nas boas obras. Infelizmente muitos ainda não a compreendem, é ainda somente um conceito vago e este é um dos motivos pelo qual o homem não se preocupa com sua alma, porque comumente ouvimos desde crianças que não somos uma alma, mas temos uma alma. Lembrando a Lei do progresso, que diz que os homens não progridem todos ao mesmo tempo, nem da mesma forma e que o progresso moral é conseqüência do progresso intelectual, a crença da vida futura só poderá influenciar a moral de um indivíduo a partir do momento em que ele a compreende e esta transformação será diretamente proporcional à compreensão do indivíduo.

Kardec nos mostra isto na questão 783 do O Livro dos Espíritos: “O homem não pode permanecer perpetuamente na ignorância, porque deve chegar ao fim determinado pela Providência; ele se esclarece pela própria força das circunstâncias. As revoluções morais, como as revoluções sociais, se infiltram pouco a pouco nas idéias, germinam ao longo dos séculos e depois explodem subitamente, fazendo ruir o edifício carcomido do passado, que não se encontra mais de acordo com as necessidades novas e as novas aspirações”.

Compreender a vida futura é a melhor forma de descobrir como viver a vida.

ClaudiaC.

Bibliografia

  • Kardec, Allan. Obras Póstumas. 25º edição, RJ, Feb.
  • Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos. 68º edição, SP, Lake, janeiro 2009.
  • Kardec, Allan. Revista Espírita Jornal de Estudos Psicológicos Ano V 1862. 2º edição, RJ Feb, 2007.

2 comentários:

§ádala Zatta® disse...

Claudia, como eu ouvi seu estudo, não me admira sua lucidez quanto ao conteúdo desde texto, mas a forma como você conduziu, com tantos adendos do próprio Kardec deixaram muito claro para que serve a vida futura! Não bastando a crença nela, mas o conhecimento sobre ela, afinal não basta não fazer o mal para "ir para o céu" mas se tem que suar muito!

Parabéns, adorei seu blog, pode ter a certeza que estarei sempre aqui!
Um beijo,
Sassa!

ClaudiaC. disse...

Oi Sassa
Que bom que gostou do blog.
Eu ainda não tive a oportunidade de me ouvir, mas agradeço o carinho.
É muito bom estudar a doutrina, compreender o desconhecido, enxergar o que não conseguimos ver...
Bjs carinhosos
ClaudiaC.

Leia também:

Related Posts with Thumbnails